• Oficina Fundação Angélica Goulart
    09/10/2018

    Unidas Somos Mais: Mulheres Negras na Luta contra as Opressões

    Juventude Agroecológica

    As mulheres exercem pouco a sua representatividade política na cidade e os poucos avanços de alguns setores expõem o abismo ainda existente na relação de espaços conquistados entre mulheres e homens, principalmente quando consideramos as mulheres negras. Por outro lado, nas redondezas das Vargens, há muitas mulheres que lutam por mais poder na sociedade, que… →

  • Raiane e seu tio-avô, Jorge Cardia
    11/09/2018

    Quilombo Ampliado: Ancestralidade e Relações de Parentesco nas Vargens

    Juventude Agroecológica

    “Ser nascido e criado” nas Vargens é um passaporte certo para uma infinidade de relações de parentesco e compadrio que aproxima em diferentes graus os povos que vivem na floresta e os que vivem no asfalto, nas comunidades daqui de baixo. Isso pode nos levar a pensar sobre onde começa e onde termina, de fato,… →

  • Mara - Mãezona
    05/09/2018

    Plantar na Cidade: Um salve à Resistência das Mãezonas da Coletiva Hortelã

    Juventude Agroecológica,Mulheres

    Prazer, meu nome é Kelvis, tenho 16 anos e faço parte do Projeto Convergências nas Vargens. Quando comecei no projeto, fui apresentado a variados tipos de ambientes, todos muitos ricos em natureza, diversidade e marcados pelo empoderamento feminino, o que foi muito bom. Dentre tudo o que vivenciei, a Coletiva Hortelã e sua experiência de… →

  • Phelipe Morgado
    17/08/2018

    O Empoderamento das Juventudes

    Juventude Agroecológica

    No mundo atual, estamos acostumados a lidar com o que chamamos de “adultocentrismo” que é sempre aquela figura adulta querendo comandar, dizer o que é certo o que é errado e que ofusca a juventude. Porém, atualmente, há projetos, instituições e lugares que buscam esse empoderamento dos jovens. O objetivo é fazê-los absorver conhecimento da… →

  • 16/08/2014
    17/08/2018

    Certificação Quilombo Cafundá Astrogilda – 4 anos

    Povos e Comunidades Tradicionais

    Lembramos bem a trajetória que levou à certificação do Quilombo Cafundá Astrogilda em 2014. O ano era 2012, o ano do evento internacional Rio + 20. O mesmo ano da remoção da Rita Aguiar*. Tanto a casa quanto a lavoura da agricultora tinham sido barbaramente destruída por ação da prefeitura na Colônia Juliano Moreira. Estávamos no auge das ameaças… →

  • Bernardete Montesano no Plano popular das vargens
    10/01/2018

    Plano Popular das Vargens – Versão completa

    Reforma Urbana

    O Plano Popular das Vargens é resultado de encontros promovidos pela Articulação Plano Popular das Vargens (APP) em 2016 e do Curso de Extensão “Formação de Planejadores Populares: Construindo o Plano Popular das Vargens”, organizado pela APP em conjunto com o Núcleo Experimental de Planejamento Conflitual (NEPLAC) do ETTERN/IPPUR/UFRJ . O diagnóstico elaborado nesse processo… →

  • 2010-26Julho 6EP - Comunidade Astrogilda
    22/12/2017

    Ei, você? Escuta de verdade?

    Agricultorxs familiares,Participação popular

    Escutar de verdade exige leitura de contexto, leitura de mundo. Quando se junta gente de raças e classes distintas, pode ter conflito. O entendimento das necessidades, dos pontos de vista e objetivos não surgem automaticamente. É necessário um investimento em mediação e o compromisso com o que vou denominar “Escuta Critica”. Em 2007, o Projeto… →

  • As aquilombadas e um griô compõem a nova diretoria da Agrovargem
    09/12/2017

    Dez anos

    Agroecologia,Mulheres

    Assisti muitos momentos de resistências e pelo menos dois grandes momentos de levante popular nas Vargens. Todos já na origem, desautorizados, difamados e até ameaçados. O povo preto e pobre nunca teve vez. Parecia improvável que um grupo de organização autônoma e popular tivesse algum sucesso contínuo nestas paragens. A Agrovargem ousou e conquistou vitórias.… →

  • saney violão
    23/07/2017

    Ao solo da terra preta

    Mulheres

    A terra O solo O que tiramos dele? O que deixamos nele? Enterra-se mudas Colhe-se alimento Enterra-se dor Colhe-se sofrimento O mesmo solo de terra preta O mesmo solo da mãe preta Que se alimenta contemplando a vida Que chora e não vê secar a ferida O mesmo chão que aglutina alegrias O mesmo chão… →

  • Francis Oliveira em exposição e venda de sua arte
    18/06/2017

    Artesã beneficia o caule da bananeira

    Mulheres

    Meu nome é Francis de Oliveira sou artesã natural do Ceará, trabalho com a flora e materiais reciclados para criar minhas peças. Eu morei na Zona Oeste desde os 13 anos de idade, minha casa era no Camorim há 30 anos e hoje moro em Santa Tereza. Desde 1990 venho trabalhando estes quatro erres: releitura,… →